À Procura da Verdade

Este fórum foi iniciado para que se pudesse conversar livremente e colocar os diversos pontos de vista sobre as verdades bíblicas.
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

  Permite a Bíblia toda e qualquer interpretação?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
são vieira



Mensagens : 923
Reputação : 16
Data de inscrição : 24/07/2009
Localização : portugal

MensagemAssunto: Permite a Bíblia toda e qualquer interpretação?   Ter Dez 27, 2011 6:59 am




"VOCÊ apenas pula de um lado para o outro na Bíblia, escolhendo os textos que se ajustam à sua interpretação", pode objectar.

Mas, será que referir-se a textos em diferentes partes da Bíblia realmente prova que a pessoa está tentando interpretá-la para ajustar-se às suas próprias idéias? E, se assim for, significa isso que a Bíblia permite toda e qualquer interpretação — todas elas legítimas?

Que Fale o Autor da bíblia



Embora tendo um Autor único, Jeová Deus, a Bíblia tem muitos escritores. Estes cerca de 40 escritores nunca contradizem um ao outro — o que, incidentalmente, prova a autoria divina — no entanto, nenhum escritor bíblico diz tudo o que há para dizer sobre determinado assunto. Assim, para entender o que o Autor da Bíblia diz sobre certo assunto, é preciso reunir todos os textos pertinentes ao ponto em questão.



O seu método era firmemente alicerçado. Por exemplo, abra a Bíblia em Romanos, capítulo 9. Verá ali um notável exemplo de que o fiel cristão Paulo usava o mesmo método. Apenas naquele capítulo, Paulo cita onze vezes de outras partes da Bíblia. Algum crítico talvez até mesmo acuse Paulo de "pular de um lado para outro" em larga escala. Começando com o primeiro livro da Bíblia, ele pula para o 39.° livro, antes de continuar com o 2.°, o 28.°, e, finalmente, o 23.°

Naturalmente, teria sido errado Paulo tirar textos de seu contexto e torcê-los para se ajustarem às suas idéias pessoais. Contudo, ele não era culpado disso. Mas parece que alguns cristãos primitivos eram, pois o apóstolo Pedro fala de "coisas difíceis de entender, as quais os não ensinados e instáveis estão deturpando, assim como fazem também com o resto das Escrituras, para a sua própria destruição". — 2 Pedro 3:16.



As "coisas difíceis de entender" podem facilmente ser mal-entendidas. Até mesmo as obras de escritores famosos, como Shakespeare, permitem várias interpretações — obviamente nem todas corretas. Portanto, não é estranho que o mesmo se dê com a Bíblia. Se Shakespeare ainda vivesse, poderíamos perguntar-lhe: "O que exatamente você queria dizer?" Mas isso não é possível; tampouco nos é possível pedir esclarecimentos adicionais a escritores da Bíblia. Felizmente, porém, ainda podemos pedir ao seu Autor, pois ele vive! (Salmo 90:1, 2) E ele prometeu dar tal orientação espiritual a homens de fé que lhe pedissem isso. — Lucas 11:9-13; Tiago 1:5, 6.



Quando estava no Egito, o fiel servo de Deus, José, reconheceu a importância de pedir a orientação divina ao ser convocado para interpretar um sonho que Deus fizera o governante do Egito ter. "Não pertencem a Deus as interpretações?", perguntou ele. Depois que José deu a interpretação correta, Faraó sentiu-se movido a indagar: "Pode-se achar outro homem semelhante a este, em quem há o espírito de Deus?" E a José ele disse: "Visto que Deus te fez saber tudo isso, não há ninguém tão discreto e sábio como tu." — Gênesis 40:8; 41:38, 39.



A diversidade de interpretações contraditórias hoje existentes entre os chamados cristãos não é por culpa do Autor da Bíblia, nem tampouco dos seus escritores. Quais profetas de Deus, estes "falaram da parte de Deus conforme eram movidos por espírito santo". (2 Pedro 1:20, 21) A culpa é de leitores da Bíblia que não têm seguido a direção do espírito de Deus quanto a permitir que Deus interprete a sua própria Palavra. Eles têm permitido que idéias pessoais obscureçam seu conceito sobre o que o próprio Autor da Bíblia diz. Vejamos dois exemplos.



Qual É a Punição Pelo Pecado?



Alguns foram levados a crer que a punição pelo pecado é o tormento eterno consciente no inferno. Tais pessoas talvez leiam Revelação (Apocalipse) 20:10, que fala do Diabo ser "lançado no lago de fogo e enxofre", e talvez interpretem isso dum modo que apóie seus conceitos. Naturalmente, isso não se harmoniza com Eclesiastes 9:5, que diz que os mortos "não estão cônscios de absolutamente nada"; tampouco se harmoniza com Romanos 6:23, que diz que "o salário pago pelo pecado é a morte", não o tormento consciente. Mesmo assim, alguns talvez se perguntem: ‘Não diz Revelação 20:10 que Satanás (e, supostamente, pessoas por ele desencaminhadas) "serão atormentados dia e noite, para todo o sempre"’?

No primeiro século, a palavra grega para "tormento" — aqui usada pelo escritor bíblico João — tinha um sentido especial. Visto que os prisioneiros às vezes eram torturados (embora isso fosse contrário à lei de Deus), os carcereiros vieram a ser conhecidos como atormentadores.

Outro escritor bíblico refere-se a isso ao falar dum escravo infiel cujo senhor "o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia". (Mateus 18:34, Almeida) Comentando esse texto, a The International Standard Bible Encyclopedia diz: "Provavelmente, a prisão em si era toda como ‘tormento’ (como sem dúvida era), e os ‘atormentadores’ nada mais precisam significar do que carcereiros."

Podemos ver assim que, por comparar textos e levar em consideração o seu significado nas línguas em que a Bíblia foi escrita, pode-se chegar a uma interpretação que se harmonize com o restante da Bíblia. Sem idéias preconcebidas, podemos ver claramente que Revelação 20:10 não é prova de tormento eterno num inferno. O destino de todos os que se rebelam contra Deus é o aprisionamento eterno na morte. A destruição deles é tão cabal que é como se fossem lançados num lago de fogo literal.

Qual É o Destino da Terra?



De acordo com 2 Pedro 3:10 (AL),
"a terra e as obras que nela há, se queimarão".
Alguns interpretam isso como significando que o globo terrestre será destruído, possivelmente num holocausto nuclear. Todavia, em vista do que o Autor da Bíblia diz em outras partes, como poderia isso ser assim? No Salmo 104:5 (AL) o salmista, sob inspiração, declarou que Deus "lançou os fundamentos da terra, para que não vacile em tempo algum". O sábio Rei Salomão, também sob inspiração, disse em Eclesiastes 1:4 (AL) que "uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece".

Uma contradição? Não, o Autor da Bíblia, um Deus veraz, não pode contradizer-se. Assim, como é possível reconciliar esses versículos? Consideremos o contexto de 2 Pedro 3:10.



Nos versículos 5 e 6, Pedro fala do Dilúvio dos dias de Noé e o compara, no versículo 7 , à destruição a acontecer no "dia do juízo e da perdição dos homens ímpios". O que foi destruído no Dilúvio? O versículo 6 diz que "pereceu o mundo de então". O globo terrestre não foi destruído. O que realmente foi destruído foi um sistema mundano iníquo. E, quando Deus prometeu a Noé, em Gênesis 9:11(Al), que nunca mais haveria um "dilúvio para destruir a terra", ele obviamente não se referia ao planeta, pois este não fora destruído. Assim, "a terra" a ser destruída, de acordo com 2 Pedro 3:10, é a mesma espécie de "terra" que foi destruída no Dilúvio — não o planeta Terra, mas sim uma iníqua sociedade terrestre de pessoas. — Compare com Gênesis 11:1, em que "terra" é usado de maneira similar.

Por mais que procure, você não achará texto bíblico algum que contradiga essa interpretação. Forçosamente, pois, esta tem de ser a correta, da parte do próprio Autor da Bíblia.

Por Que Não Permite Toda e Qualquer Interpretação?




O que acharia uma dona-de-casa de um livro de receitas que permitisse qualquer tipo de interpretação? Ou, que adiantaria comprar um dicionário que permitisse ao leitor interpretar o significado das palavras da maneira que quisesse? É esse o tipo de Guia que esperaríamos que Deus fornecesse a suas criaturas? Deveras, se assim fosse, seria próprio falar desse livro como Guia?



Pessoas sinceras e tementes a Deus não tentam torcer as Escrituras "para a sua própria destruição". (2 Pedro 3:16) Para evitar isso, procuram todos os textos pertinentes ao assunto que tentam entender. Ao se depararem com textos que claramente contradizem conceitos pessoais prévios, tais conceitos são prontamente rejeitados, pois não podem ser corretos.

Por terem tal atitude flexível, em vez de quererem interpretar a Bíblia para confirmar idéias pessoais, estão dispostas a se ajustar à interpretação óbvia feita pelo próprio Autor da Bíblia.

Quão bom é saber que a Bíblia não permite todo e qualquer tipo de interpretação. Quando permitimos que o seu Autor a interprete para nós, ela é realmente "proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça". Neste caso, e somente neste caso, ela nos tornará ‘plenamente competentes, completamente equipados para toda boa obra’. — 2 Timóteo 3:16, 17.


As citações se encontram em Romanos, capítulo 9, versículos 7 (Gênesis 21:12), 9 (Gênesis 18:14), 12 (Gênesis 25:23), 13 (Malaquias 1:2, 3), 15 (Êxodo 33:19), 17 (Êxodo 9:16), 25 (Oséias 2:23), 26 (Oséias 1:10), 27, 28 (Isaías 10:22, 23), 29 (Isaías 1:9) e 33 (Isaías 28:16).


[i][b][center]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Permite a Bíblia toda e qualquer interpretação?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Regras de interpretação da bíblia
» As Bíblias e suas Interpretações
» "ALMEIDA REVISTA E ATUALIZADA" – UMA BÍBLIA ECUMÊNICA?
» Os críticos pós-modernos da Bíblia e a arqueologia atual
» Problemas com a Bíblia NVI

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
À Procura da Verdade :: Outros assuntos :: Composição da bíblia :: Por que estes livros compõe a bíblia ?-
Ir para: